Home Notícias Charlie Watts, Baterista dos Rolling Stones, morre aos 80 anos

Charlie Watts, Baterista dos Rolling Stones, morre aos 80 anos

798
0

Charlie Watts, baterista da icônica banda Rolling Stones, morre aos 80 anos.

LONDRES — Charlie Watts, o inabalável baterista dos Rolling Stones, que ajudou a ancorar uma das maiores seções de ritmos do rock e usou seu “trabalho diurno” para apoiar seu amor duradouro pelo jazz, morreu, segundo seu agente. Ele tinha 80 anos.

Bernard Doherty disse na terça-feira, 24/08/2021, que Watts “faleceu pacificamente em um hospital de Londres hoje cedo cercado por sua família”.

O calmo e sempre bem-vestido Watts foi frequentemente classificado ao lado de Keith Moon, Ginger Baker e um punhado de outros como um baterista de “rock premier”, respeitado mundialmente por seu estilo forte e pontual, foi primordial para que a banda evoluísse de seu começo desleixado para o estrelato internacional. Ele se juntou aos Stones no início de 1963 e permaneceu ao longo dos 60 anos seguintes, ficando atrás apenas de Mick Jagger e Keith Richards como o membro mais duradouro e essencial do grupo.

Os Stones começaram, disse Watts, “como caras brancos da Inglaterra tocando música black americana”, mas rapidamente evoluíram seu próprio som distinto. Watts foi baterista de jazz em seus primeiros anos e nunca perdeu sua afinidade pela música que amava desde a primeira vez que ouviu, liderando sua própria banda de jazz e assumindo inúmeros outros projetos paralelos.

Watts, considerado um dos maiores bateristas do rock, teve um “procedimento cirúrgico de sucesso” em Londres há algumas semanas depois que um problema foi encontrado durante um check-up de rotina.

Os médicos o consideraram incapaz de participar da turnê no Filter que começaria no próximo mês, e prescreveu semanas de “descanso e recuperação”, revelou o The Sun.

Watts brincou na época:

“Pela primeira vez, meu tempo foi um pouco ruim.”

Os Stones tinham como objetivo tê-lo de volta tocando para as grandes comemorações do 60º aniversário da banda em 2022, quando lançarão seu primeiro álbum de músicas originais em 17 anos.

Mas, infelizmente, Watts morreu antes de poder se juntar aos seus colegas de banda, seu agente londrino Bernard Doherty confirmou hoje.

Músicas clássica dos Stones como “Brown Sugar” e “Start Me Up” muitas vezes começaram com um riff de guitarra de Richards, com Watts seguindo de perto atrás, e Wyman, como o baixista gostava de dizer, “engordando o som”. A velocidade, o poder e a manutenção do andamento de Watts foram melhor exibidos durante o documentário do concerto, “Shine a Light”, quando o diretor Martin Scorsese filmou “Jumpin’ Jack Flash” de onde ele batia em direção ao fundo do palco.

Saiba mais em: Rolling Stones Official

Leia mais em: Charlie Watts morre aos 80 anos – G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui