A guitarrista também discute sua relação com a Gibson.

Durante uma conversa com Justin Beckner da UG, Orianthi falou sobre suas guitarras, seu relacionamento de longa data com a PRS, ao mesmo tempo em que tocou em Gibsons, Fenders e outros assuntos.

Quando perguntada: “Ouvi rumores de um novo violão Gibson signature.’ Você pode falar sobre o que isso implica?”, respondeu Orianthi:

“Estou tão empolgada com esse violão. Em última análise, é um híbrido. Então, é um braço de guitarra (de uma ES-345) em um corpo J-200. Fui à fábrica em Montana e jantei com Cesar (Gueikian) e sua esposa e conversamos sobre algumas coisas”

“Eu estava com a Gibson há muito tempo, talvez em 2010 ou próximo. Então eu fui tocar com violões Martin e Taylor, mas então eu fiquei realmente impressionada com a maneira como a Gibson estava criando seus instrumentos novamente, qualidade e tudo mais”

“Então eu fui para Montana e todo mundo estava adorando o processo e nós criamos esse violão incrível que eu mal posso esperar para as pessoas tocarem. Todos que o pegaram, incluindo eu, ficaram muito felizes com o resultado. É realmente um dos melhores violões que eu já toquei”

O que te fez aproximar da Gibson para este novo violão em vez de outra empresa? A mudança na gestão da Gibson foi um fator?

“Eles realmente se aproximaram de mim. Eles estavam se aproximando de mim há algum tempo para trabalhar com eles e eu achei que era o momento certo”

“Eles queriam fazer um modelo signature completo e me aceitar como artista Gibson, então eu decidi dizer sim a isso, mas em instrumentos acústicos e é isso que estamos fazendo. Eu não poderia estar mais feliz”

Você ainda está usando guitarras PRS? Vi uma foto sua com uma Gibson Flying V há pouco tempo.

“Sim, quero dizer, eu amo a Flying V porque é uma ode a Hendrix e Albert King. Usei Stratos, Teles e guitarras diferentes para diferentes sons ao longo dos anos. Guitarras são ferramentas e há tantas opções”

“A PRS está em minhas mãos desde que eu tinha 12 anos, então não estou fugindo da PRS, são como parte da família há 20 anos. Eu as amo e vamos criar algo novo muito em breve”

Então há uma nova PRS Orianthi signature em andamento?

“Eu não sei a data, mas fui à fábrica da PRS e conversamos sobre idéias diferentes para uma nova PRS signature. Eu já fiz quatro PRS, mas a próxima que estou fazendo com Paul (Reed Smith) vai ser muito legal.

“Estamos indo e vindo, então não sei exatamente quando isso pode ser lançado. Agora, eu só estava focando no signature J-200, que estava sendo produzido há cerca de um ano”

“Esse é o violão que eu tenho usado e então eu tenho usado a PRS 24s e diferentes modelos que eu fiz com eles ao longo dos anos”

“Essas são feitas sob encomenda, a última que fiz foi uma roxa que tem um monte de inlays e detalhes trabalhados que não está disponível nas lojas devido ao preço dela”

Existem outras empresas que tentaram convencê-la para fazer modelos signature e por que esses não deram certo?

“Sim, honestamente, recebo tantos pedidos de empresas diferentes me pedindo para tocar suas guitarras e perguntando se podemos fazer um modelo de signature. Isso é muito lisonjeiro e me sinto muito honrada por eles quererem que eu toque suas guitarras”

“Mas no final do dia, para me afastar do PRS ou me fazer tocar outra guitarra… Não vou dizer que não toco Stratos ou Gibsons vintage ou coisas diferentes. Já fiz isso no passado e farei isso no futuro”

“No final das contas, todo mundo me vê com uma PRS e eu aprendi a tocar guitarra por causa do Carlos Santana. Ele realmente me colocou nessa coisa de relações públicas. Paul (Reed Smith) é incrível. Ele é um artista”

“Como eu disse, eu não vou dizer que você não vai me ver tocando com uma Gibson ou uma Fender ou algo assim junto com a PRS, mas a PRS sempre estará comigo, em minhas mãos, até o dia em que eu morrer. Minha arma principal, é uma PRS.”

Leia mais: Os lançamentos da Gibson em 2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui