No dia 10 de agosto de 1909, nasceu em Anaheim, Califórnia, Clarence Leonidas Fender, um dos maiores gênios da história dos instrumentos musicais.
Quando adolescente, adorava manipular rádios e, pouco a pouco, foi se interessando pelos amplificadores. Em 1938, Leo abriu em Fullerton, uma oficina para reparo de aparelhos de som, chamava-se Fender Radio Service. Quando as guitarras começaram a ser amplificadas, geravam muita microfonia por serem ocas e a idéia de uma guitarra elétrica de corpo maciço o atraía. Começou a fazer contato com músicos de country e blues, sondando a receptividade que do seu projeto. Nessa época, desenvolveu amplificadores para os músicos de country, então, em 1944, junto com Doc Kaufmann, Leo Fender criou a primeira lapsteel elétrica. Pouco tempo depois, fundou a companhia K&F, onde dedicou-se à fabricação de guitarras elétricas e amplificadores, a empresa só durou até 1946, quando fundou a Fender.

Foto: Reverb.com

Em 1948, George Fullerton juntou-se a Fender e os dois começaram a desenhar o primeiro protótipo de guitarra maciça, a Esquire. Em 1951, a empresa apresentou o protótipo de um instrumento de corpo sólido, a Broadcaster que, por questões legais, precisou mudar de nome e nasceu a Telecaster, que começou a ser fabricada e vendida a partir de 1950. A Tele, como é carinhosamente chamada pelos guitarristas, foi a primeira guitarra de corpo sólido a ser produzida em massa para comercialização.

Broadcaster (esq) e Esquire (dir) – Foto: Arquivo

Ainda em 1951, Fender apresentou sua revolucionária nova invenção. Esse instrumento sim, podemos dar todo o crédito a ele como inventor, o contrabaixo elétrico. O baixo recebeu o nome de Precision Bass porque era tocado como uma guitarra e tinha trastes, as notas eram executadas “com precisão”, daí vem a origem do nome, além disso, podia ser amplificado, libertando os baixistas dos desconfortáveis e extremamente “difíceis de se ouvir” baixos acústicos. Esses dois instrumentos históricos sacramentaram a fundação de um novo tipo de grupo e uma revolução na música popular. Os instrumentos elétricos Fender tornaram possível aos pequenos grupos se conhecerem e serem ouvidos.

Precision 51 (esq) e Precision Modern (dir)

Em 1953, Leo começou a desenvolver a guitarra que viria a ser um dos maiores ícones dos instrumentos, a Fender Stratocaster, lançada em 1954. A Stratocaster incorporou muitas inovações no design baseadas nas opiniões de músicos profissionais, do time da Fender e do próprio Leo. A inclusão de um terceiro captador ofereceu mais possibilidades de tom, o corpo com uma ergonomia melhor deixou a guitarra mais confortável e o design com corte duplo no corpo deixou o acesso a notas mais agudas ainda mais fácil. Uma das inovações mais importantes, foi a inclusão da nova ponte de tremolo, uma inovação que foi criada para permitir que os guitarristas pudessem simular o efeito do pedal das guitarras steel muito populares entre os artistas de country music da época.
Ninguém podia prever como a Stratocaster iria revolucionar a música popular. Essa é a guitarra elétrica mais popular e influente de todos os tempos, usada por guitarristas de todos os níveis e gêneros musicais com um timbre, versatilidade e ergonomia que permanecem até hoje como no primeiro modelo de 1954.
Leo Fender não foi o inventor a guitarra, mas ele a transformou no que é hoje. Antes de Fender, elas costumavam ser feitas em corpos ocos, como os de violão. Leo, inspirou na Rickenbaker e na Bigsby, e usou um corpo de madeira maciça. A diferença fundamental da sua criação estava no braço. Antes, corpo e braço eram feitos de uma mesma peça de madeira ou eram colados. Leo percebeu que era mais prático que os braços fossem encaixados e que fossem feitos de madeiras diferentes, com características mais adequadas a suas funções.

 

Bassman (Esq) e Twin Reverb (dir)

Na década seguinte, a Fender seguiu apresentando muitos modelos de instrumentos e amplificadores, inclusive o baixo Jazz Bass, as guitarras Jaguar e Jazzmaster e o amplificador Twin Reverb.

Jazz Bass (esq), Jaguar (centro) e Jazzmaster (dir)

Em 1965, Leo Fender estava com problemas de saúde e vendeu a companhia para a CBS, voltando algum tempo depois, quando já estava melhor de saúde. Mas em 1970, abandonou a CBS em para Fundar a Music Man, a qual hoje pertencendo a Ernie Ball, fabrica instrumentos semelhantes e, muitos deles, com os melhoramentos desenvolvidos por Leo.

Music Man Silhouette (esqu) e Music Man Stingray (dir) – Foto: Arquivo

O inquieto inventor, juntamente com seu parceiro de longa data, George Fullerton, fundou a G&L (George and Leo). Os instrumentos G&L tem toda a excelência dos anos de prática e desenvolvimento dos seus criadores, cada mínimo detalhe é baseado na experiência dos seus mentores.


G&L Legacy Tribute (esq), Asat Classic Tele (centro) e JB Tribute (dir) – Foto: Arquivo

O gênio Leo Fender, que dedicou sua vida a inovação de instrumentos, amplificadores e outros, faleceu em março de 1991, mas deixou um legado que jamais será esquecido. Para finalizar, uma curiosidade, Leo Fender foi incluído no Hall da Fama do Rock & Roll por ser uma das pessoas mais influentes da história da música contemporânea. Um visionário que talvez tenha sido o mais importante desenvolvedor da guitarra elétrica, só que ele nunca soube tocar o instrumento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui