No dia 10 de agosto de 1909, nasceu em Anaheim, Califórnia, Clarence Leonidas Fender, um dos maiores gênios da história dos instrumentos musicais.
Quando adolescente, adorava manipular rádios e, pouco a pouco, foi se interessando pelos amplificadores. Em 1938, Leo abriu em Fullerton, uma oficina para reparo de aparelhos de som, chamava-se Fender Radio Service. Quando as guitarras começaram a ser amplificadas, geravam muita microfonia por serem ocas e a idéia de uma guitarra elétrica de corpo maciço o atraía. Começou a fazer contato com músicos de country e blues, sondando a receptividade que do seu projeto. Nessa época, desenvolveu amplificadores para os músicos de country, então, em 1944, junto com Doc Kaufmann, Leo Fender criou uma lapsteel elétrica. Pouco tempo depois, fundou a companhia K&F, onde dedicou-se à fabricação de guitarras elétricas e amplificadores, a empresa só durou até 1946, quando fundou a Fender.

Foto: Reverb.com

Em 1948, George Fullerton juntou-se a Fender e os dois começaram a desenhar o primeiro protótipo de guitarra maciça, a Esquire. Em 1951, a empresa apresentou o protótipo de um instrumento de corpo sólido, a Broadcaster que, por questões legais, precisou mudar de nome e nasceu a Telecaster, que começou a ser fabricada e vendida a partir de 1950. A Tele, como é carinhosamente chamada pelos guitarristas, foi a primeira guitarra de corpo sólido a ser produzida em massa para comercialização.

Broadcaster (esq) e Esquire (dir) – Foto: Arquivo

Ainda em 1951, Fender apresentou sua nova criação, o Precision Bass, que tinha trastes, as notas eram executadas “com precisão”, daí vem a origem do nome. Além disso, podia ser amplificado, libertando os baixistas dos desconfortáveis e extremamente “difíceis de se ouvir” baixos acústicos. Esses dois instrumentos históricos sacramentaram a fundação de um novo tipo de grupo e uma revolução na música popular. Os instrumentos elétricos Fender tornaram possível aos pequenos grupos se conhecerem e serem ouvidos.

Precision 51 (acima) e Precision Modern (abaixo)

Em 1953, Leo começou a desenvolver a guitarra que viria a ser um dos maiores ícones dos instrumentos, a Fender Stratocaster, lançada em 1954. A Stratocaster incorporou muitas inovações no design baseadas nas opiniões de músicos profissionais, do time da Fender e do próprio Leo. A inclusão de um terceiro captador ofereceu mais possibilidades de tom, o corpo com uma ergonomia melhor deixou a guitarra mais confortável e o design com corte duplo no corpo deixou o acesso a notas mais agudas ainda mais fácil. Um dos upgrades importantes, foi a inclusão da sua nova ponte de tremolo, para permitir que os guitarristas pudessem simular o efeito do pedal das guitarras steel muito populares entre os artistas de country music da época.
Ninguém podia prever como a Stratocaster iria revolucionar a música popular. Essa é a guitarra elétrica mais popular e influente de todos os tempos, usada por guitarristas de todos os níveis e gêneros musicais com um timbre, versatilidade e ergonomia que permanecem até hoje como no primeiro modelo de 1954.
Leo Fender não foi o inventor a guitarra, mas ele a transformou no que é hoje. Antes de Fender, elas costumavam ser feitas em corpos ocos, como os de violão. Leo, inspirou na Rickenbaker e na Bigsby, e usou um corpo de madeira maciça. A diferença fundamental da sua criação estava no braço. Antes, corpo e braço eram feitos de uma mesma peça de madeira ou eram colados. Leo percebeu que era mais prático que os braços fossem encaixados e que fossem feitos de madeiras diferentes, com características mais adequadas a suas funções.

 

Bassman (Esq) e Twin Reverb (dir)

Na década seguinte, a Fender seguiu apresentando muitos modelos de instrumentos e amplificadores, inclusive o baixo Jazz Bass, as guitarras Jaguar e Jazzmaster e o amplificador Twin Reverb.

Jazz Bass (esq), Jaguar (centro) e Jazzmaster (dir)

Em 1965, Leo Fender estava com problemas de saúde e vendeu a companhia para a CBS, voltando algum tempo depois, quando já estava melhor de saúde. Mas em 1970, abandonou a CBS em para Fundar a Music Man, a qual hoje pertencendo a Ernie Ball, fabrica instrumentos semelhantes e, muitos deles, com os melhoramentos desenvolvidos por Leo.

Music Man Silhouette (esqu) e Music Man Stingray (dir) – Foto: Arquivo

O inquieto inventor, juntamente com seu parceiro de longa data, George Fullerton, fundou a G&L (George and Leo). Os instrumentos G&L tem toda a excelência dos anos de prática e desenvolvimento dos seus criadores, cada mínimo detalhe é baseado na experiência dos seus mentores.


G&L Legacy Tribute (esq), Asat Classic Tele (centro) e JB Tribute (dir) – Foto: Arquivo

O gênio Leo Fender, que dedicou sua vida a inovação de instrumentos, amplificadores e outros, faleceu em março de 1991, mas deixou um legado que jamais será esquecido. Para finalizar, uma curiosidade, Leo Fender foi incluído no Hall da Fama do Rock & Roll por ser uma das pessoas mais influentes da história da música contemporânea. Um visionário que talvez tenha sido o mais importante desenvolvedor da guitarra elétrica, só que ele nunca soube tocar o instrumento.

Confira os instrumentos em: Fender.com

Leia mais: Os lançamentos da Fender para 2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui